Home > Lifestyle > Obstipação intestinal afeta mais as mulheres. As causas, os sintomas e os cuidados a ter
01.08.2020

Obstipação intestinal afeta mais as mulheres. As causas, os sintomas e os cuidados a ter

Para além de questões hormonais ou de gravidez, a obstipação intestinal pode ter outras causas. 2/3 das pessoas que sofrem de obstipação são mulheres. A MAGG consultou um especialista para explicar tudo.

Este é um tema que preocupa mais as mulheres. 2/3 das pessoas que sofrem de obstipação crónica são do sexo feminino e, até aos dias de hoje, sabe-se que as causas podem ter várias origens: questões hormonais, situação de gravidez ou até mesmo sedentarismo.

Mas, afinal, o que é a obstipação crónica? Estar obstipado significa ter problemas para expulsar as fezes ou mesmo não expulsar as fezes durante algum tempo, sendo esse o principal sintoma, associado a alguma dor abdominal. Se a dificuldade em defecar com regularidade durar mais de um ano, então pode vir a ser considerada uma obstipação crónica. Embora seja muito frequente em algumas pessoas, os problemas no trânsito intestinal dificultam as tarefas do dia a dia.

"Nem todas as pessoas têm as mesmas rotinas de defecar. Considera-se normal fazê-lo desde três vezes por dia até três vezes por semana. A obstipação ocasional é frequente, principalmente nos adultos e durante a gravidez", conta à MAGG Miguel Mascarenhas Saraiva, Coordenador de Gastrenterologia do Hospital CUF Porto.

Apesar de ainda não haver causas muito específicas para explicar a obstipação, para além do surgimento na gravidez ou tendo uma vida mais sedentária, sabe-se que pode existir também "uma possível incidência familiar", afirmou o mesmo médico. No entanto, os investigadores ainda não conseguiram identificar os fatores genéticos que podem levar à obstipação.

Quais os cuidados a ter quando se sofre de obstipação intestinal?

Vários, mas destaca-se principalmente a prática de uma alimentação saudável. "A ingestão de alimentos com poucas fibras, assim como a baixa ingestão de líquidos é a causa, em mais de metade dos casos, da obstipação crónica", refere Miguel Mascarenhas Saraiva. "Por outro lado, ingerir mais de 20 gramas de fibras por dia, associada a uma boa ingestão de líquidos, corrige o problema em mais de 2/3 dos casos", acrescenta o especialista.

Para além das fibras, também é importante ingerir um número correto de frutas e legumes por dia. Bem como praticar atividade física regularmente e dedicar algum tempo do dia para tentar defecar, de preferência evitar sanitas altas e apoiar os pés num banco, para que não se promova o surgimento de hemorróidas.

Um sintoma desvalorizado e que ainda é tabu em Portugal

Os sintomas de obstipação não são muito valorizados pela sociedade em geral. No entanto, "existem casos em que é mesmo uma doença e causa de absentismo ao trabalho, principalmente quando se associa ao síndrome de intestino irritável", conta o mesmo especialista à MAGG, acrescentando que em alguns casos são necessárias estratégias de tratamento especial.

Em Portugal, é tabu falar-se sobre transito intestinal e fezes. "A observação médica e a realização de exames, nomeadamente a colonoscopia, pode fornecer dados importantes para esclarecer a situação e desta forma, minimizar a possibilidade de ocorrência de atrasos de diagnóstico", termina Miguel Mascarenhas Saraiva.

Assim, no caso específico das mulheres, o conjunto de sintomas associados à obstipação pode levar a graves problemas físicos e psicológicos. Caso haja distensão abdominal, a mulher pode ser afetada na sua imagem e daí surgirem outros problemas que necessitem de apoio psicológico. Bem como as dificuldades que as dores abdominais causam na capacidade laboral, relacionamentos interpessoais, etc. O importante é consultar um especialista sempre que surjam sintomas.

Fonte: Magg