Pesquisa avançada

Home > News > Publicada portaria que limita preço dos novos medidores de glicose
12.01.2018

Publicada portaria que limita preço dos novos medidores de glicose

Os novos sensores para determinação da glicose intersticial terão um custo máximo de 53 euros e uma comparticipação de 85% desse valor pelo Estado.

A portaria que vai permitir a comparticipação em 85% dos novos dispositivos de medição da glicose que evitam picadas diárias foi nesta quinta-feira publicada, entra sexta-feira em vigor, mas produz efeitos a 08 de Janeiro.

Os novos sensores para determinação da glicose intersticial terão um custo máximo de 53 euros e uma comparticipação de 85% desse valor pelo Estado, segundo a portaria publicada em Diário da República, assinada pela secretária de Estado da Saúde, Rosa Zorrinho.

O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento tinha anunciado em Novembro que os doentes com diabetes tipo I passariam a ter disponível um dispositivo para monitorização dos níveis de glicose que evita as picadas diárias, comparticipado em 85% e que vai chegar a 15.000 pessoas no primeiro ano. A diabetes de tipo I é uma doença auto-imune que implica injecções diárias de insulina.

"Todas as crianças com mais de quatro anos serão beneficiadas com este dispositivo", referia um comunicado do Infarmed então divulgado.

Segundo o organismo, o novo dispositivo "mede automaticamente os níveis de glicose e está indicado em substituição dos testes até aqui realizados no âmbito da autogestão da doença".

"É particularmente relevante para as crianças e para os doentes que administram diariamente múltiplas doses de insulina, encontrando-se assim sujeitos a sucessivas picagens no dedo ao longo do dia. O sistema garante um maior controlo das hipoglicémias (baixas de açúcar no sangue) e pode disponibilizar uma imagem da glicemia do doente correspondente ao período de 24 horas. O sensor do sistema FreeStyle Libre é aplicado na parte posterior do braço e armazena os dados de glicose continuamente durante até 14 dias", explica o Infarmed.

Fonte: Publico
Foto: Manuel Roberto